NOTÍCIAS

26 de fevereiro de 2019

O futuro da mobilidade no Brasil

Clarissa Lins participa de debate com Uber, Bosch e COPPE-UFRJ na ANP

A mobilidade passa por transformações profundas que tendem a modificar a forma que as pessoas se locomovem em centros urbanos. Entre as principais tendências que impulsionam essas transformações, pode-se destacar a maior penetração de veículos elétricos, o aumento de serviços de compartilhamento e o desenvolvimento da tecnologia autônoma[1].  Nesse sentido, alguns fatores relevantes contribuem para a velocidade dessa transformação, são eles: (i) políticas públicas; (ii) desenvolvimento tecnológico; e (iii) novos hábitos de consumo da população.

No cenário brasileiro, as principais tendências de mobilidade ainda estão distantes do atual estágio de desenvolvimento das principais regiões globais.  Entretanto, alguns aspectos já sinalizam para uma maior penetração dessas tecnologias no médio prazo. Destaca-se o crescimento de 20% das vendas de veículos elétricos em 2018[2], comparativamente ao ano anterior. Torna-se oportuno debater as principais oportunidades e desafios que surgem diante desse novo contexto e seus impactos no Brasil.

Nesse sentido, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) buscou contribuir para tais discussões por meio do seminário – “O futuro da matriz veicular no Brasil” – realizado nos dias 20 e 21 de fevereiro. Clarissa Lins, sócia fundadora da Catavento, moderou o debate que abriu o evento, que contou com a participação de Mariana Polidorio, Gerente de Políticas Públicas da Uber Brasil, Alexandre Uchimura, Gerente de Novos Negócios em Eletromobilidade da Bosch América Latina, e Alexandre Szklo, professor da COPPE – UFRJ .

Inicialmente, os debatedores analisaram os impactos esperados do compartilhamento, veículos elétricos e tecnologias autônomas no cenário global. Em um segundo momento, foram abordadas as condições necessárias para a maior penetração dessas tecnologias no cenário nacional (ex: perfil do consumidor, capacidade da infraestrutura, participação de renováveis na matriz elétrica e etc.). Foram debatidas, também, as perspectivas para o futuro da matriz veicular no Brasil, trazendo luz sobre as principais transformações em curso e particularidades nacionais.

Por fim, o debate gerou uma rodada de perguntas e respostas com a audiência moderada por Clarissa Lins.  Os aspectos abordados durante o debate promoveram reflexões importantes sobre o futuro da mobilidade no Brasil.

[1] Catavento. Revolução elétrica: um cenário possível para a mobilidade no Brasil?2018

[2] ANFAVEA. Registros Nacionais de Veículos Automotores. 2018

 

Leituras relacionadas:

Catavento Consultoria – Revolução elétrica: um cenário possível para a mobilidade no Brasil?

Catavento Consultoria – Mobilidade elétrica: perspectivas e desafios

IEA – Global EV Outlook 2018

BNEF – Cumulative Global EV Sales Hit 4 Million

Reuters – A Reuters analysis of 29 global automakers found that they are investing at least $300 billion in electric vehicles