NOTÍCIAS

20 de novembro de 2017

KAS convida Catavento para participar de debates sobre transição energética

Fundação Konrad Adenauer (KAS) promove debates com representantes da América Latina para discutir transição energética; Catavento representa o Brasil

A Fundação Konrad Adenauer (KAS), no âmbito do Programa Regional Segurança Energética e Mudança Climática na América Latina, convidou a Catavento para participar de diversos eventos ao longo do 2° semestre de 2017.

No primeiro deles, ocorrido em Brasília em agosto de 2017, na Casa da ONU, procurou-se identificar o potencial de cooperação entre o Mercosul e a União Europeia no contexto da implementação dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável e dos compromissos climáticos assumidos na COP-21. Os aspectos mapeados estavam relacionados com mudanças climáticas, segurança energética e alimentar. Clarissa Lins participou de painel fechado com especialistas, sobre a temática “Mudanças climáticas e segurança energética na União Europeia e no Mercosul: o papel do governo e de atores não-governamentais na promoção de energias renováveis.”

O seminário foi realizado em parceria com o think tank Centro Brasileiro de Relações Internacionais  – CEBRI e com Instituto de Pesquisa em Meio Ambiente, Segurança Energética e Desenvolvimento Sustentável (AMENDS).

A apresentação feita pela Catavento está disponível aqui. Caso queira ver um resumo do que foi discutido, acesse o vídeo também.

Em setembro de 2017, a Fundação Konrad Adenauer promoveu, em parceria com a Universidade Austral do Chile, um debate sobre “A boa governança para a transição energética”, também no âmbito do Programa Regional para Segurança Energética e Mudanças Climáticas na América Latina.

Partindo da constatação que a América Latina é uma das regiões mais ricas em recursos energéticos renováveis do mundo, a Conferência teve como objetivo mapear eventuais políticas e práticas que pudessem ser replicadas na Alemanha, país que assumiu compromissos desafiadores com relação à penetração de fontes renováveis em sua matriz elétrica.

Mais especificamente, a Conferência buscou mapear preços e custos das energias renováveis, modelos de negócios disruptivos, além de políticas públicas bem-sucedidas. A apresentação da Catavento enfatizou o modelo de leilões, adotado em diversos países da região, bem como os desafios à implantação de sistemas de governança que garantam participação sustentável de fontes renováveis.

A apresentação feita pela Catavento está disponível aqui.