PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO

CLARISSA LINS/BRUNA MASCOTTE/RAFAEL PATROCÍNIO

Setembro de 2019

Transição energética no setor marítimo

Oportunidades e desafios frente à necessidade de redução de emissões de carbono e enxofre

O setor marítimo, responsável por 80% do comércio internacional físico, responde por 2% das emissões globais de CO2 e 13% das emissões globais de enxofre. Neste contexto, a IMO delimitou que, a partir de 2020, o limite para concentração de enxofre em combustíveis marítimos seja reduzido de 3,5% para 0,5%. Além disso, estabeleceu a meta de reduzir as emissões do setor em pelo menos 50% até 2050, em comparação com os níveis de 2008.

O Núcleo Energia do CEBRI, em parceria com o Consulado da Noruega no Rio de Janeiro, organizou um evento no dia 11 de julho de 2019 para discutir a transição energética no setor marítimo. A equipe da Catavento foi responsável pela curadoria de conteúdo e elaboração da consolidação das discussões em um paper.

O paper busca descrever as tomadas de decisão das empresas de navegação para seguir a regulação da IMO no curto prazo e analisar os impactos sobre o setor de energia. Há, ainda, um detalhamento das rotas possíveis para a descarbonização da indústria marítima em um cenário até 2050. Por fim, o estudo também busca compreender como o Brasil está posicionado neste cenário.

O paper pode ser baixado por meio do formulário abaixo.


Nome

Email

Organização

Publicações Recentes da Catavento

  • O estado da relação, Belt and Road e lições para o futuro

    No âmbito do Núcleo de Infraestrutura e Energia do CEBRI – Centro Brasileiro de Relações Inter... [ Leia Mais ]

  • Transição energética no setor marítimo

    O setor marítimo, responsável por 80% do comércio internacional físico, responde por 2% das emis... [ Leia Mais ]

  • Publicação – Parceria Brasil China no setor de infraestrutura logistica

    No âmbito do Grupo de Infraestrutura do CEBRI – Centro Brasileiro de Relações Internacionais -,... [ Leia Mais ]