NOTÍCIAS

11 de setembro de 2019

A transição energética no setor marítimo

Oportunidades e desafios frente à necessidade de redução de emissões de carbono e enxofre

O setor marítimo, responsável por 80% do comércio internacional físico, responde por 2% das emissões globais de CO2 e 13% das emissões globais de enxofre. Neste contexto, a International Maritime Organization (IMO)  delimitou que, a partir de 2020, o limite para concentração de enxofre em combustíveis marítimos seja reduzido de 3,5% para 0,5%. Além disso, estabeleceu a meta de reduzir as emissões do setor em pelo menos 50% até 2050, em comparação com os níveis de 2008.

O Núcleo Energia do CEBRI, em parceria com o Consulado da Noruega no Rio de Janeiro, organizou um evento no dia 11 de julho de 2019 para discutir a transição energética no setor marítimo. A equipe da Catavento foi responsável pela curadoria de conteúdo e elaboração da consolidação das discussões em um paper, que pode ser acessado aqui

O paper busca descrever as tomadas de decisão das empresas de navegação para seguir a regulação da IMO no curto prazo e analisar os impactos sobre o setor de energia. Há, ainda, um detalhamento das rotas possíveis para a descarbonização da indústria marítima em um cenário até 2050. Por fim, o estudo também busca compreender como o Brasil está posicionado neste cenário.

O evento contou com a abertura de Marianne Fosland, Cônsul-Geral do Consulado da Noruega no Rio de Janeiro, seguida de breve contextualização conduzida por Clarissa Lins, sócia fundadora da Catavento.

Em seguida, Jonas Mattos – Business Development Manager Maritime South America da DNV-GL -, Ricardo Cesar Fernandes – Country Manager da Associação Brasileira dos Armadores Noruegueses – Erik Ianssen – Gerente Geral da Selfa – apresentaram o panorama global da transição energética no setor marítimo.

Por último, o evento contou com a presença de Claudia Sousa – Gerente de downstream da Petrobras -, Letícia Villa-Forte – CEO da BP Prumo – e Ricardo Mendes – Head de Energia da Vale. Os painelistas debateram as oportunidades e os desafios do Brasil no contexto da transição energética do setor marítimo.